Sexta-feira, 4 de Setembro de 2009
O suposto problema do 4-4-2 da Selecção Nacional.

Permitam-me trazer a este blog um tema que numa primeira impressão poderá não estar muito relacionado com o nosso clube. Além de pensar que sim, penso ser um assunto relevante. Passo a expor.

 

No último jogo amigável realizado pela Selecção Nacional, o Prof. Carlos Queiroz testou um novo esquema táctico: 4 defesas, 4 médios, 2 avançados. Muito se tem falado sobre mais esta inovação, das muitas que o seleccionador tem feito desde que assumiu o comando. Uma das críticas que recentemente tem ganho força reside no facto de os jogadores não estarem rotinados neste esquema, já que Portugal era fiel a um modelo de jogo que contemplava um meio-campo com três jogadores, dois alas e apenas um avançado.

 

Não vejo aqui nenhum problema, mas sim a SOLUÇÃO!

 

Como eu sempre defendi, os jogadores devem jogar nas suas posições de origem, onde estão mais rotinados. Quer seja numa selecção, quer seja num clube, não deve haver grandes mexidas, não deve haver adaptações. Com a agravante óbvia no caso das selecções, pois é evidente que nenhum seleccionador consegue treinar um sistema diferente de forma eficaz quando os jogadores convocados apenas chegam às concentrações dois ou três dias antes dos jogos.

 

A este próposito, poderão ler as declarações feitas ontem pelo Tiago. Muito positivas, perfeita clarividência.

 

Para mim, sempre me pareceu óbvio que o rendimento menos conseguido na Selecção Nacional de alguns jogadores, como o Cristiano Ronaldo, se deve ao facto de jogarem num sistema e em posições diferentes em relação ao que acontece nos respectivos clubes.

No caso do melhor jogador do mundo, trata-se de alguém que no Manchester United jogava de trás para a frente, das alas para o meio, sempre com dois avançados (Berbatov e Rooney) e a abrirem espaços).

Na Selecção aparece sempre perdido na frente: "bola lá prá frente, ele que resolva". Só que de costas para a baliza, onde não pode utilizar a sua velocidade, dificilmente conseguirá resolver. E agora no Real Madrid, tem sentido dificuldades por causa disso mesmo.

 

Mas não é caso único. Notem bem que todos os jogadores convocados pelo Prof. Carlos Queiroz jogam em 4-4-2 nos respectivos clubes. Os nossos médios Tiago, Maniche, Deco ou João Moutinho, os nossos alas Ronaldo, Simão e Nani, os nossos avançados Nuno Gomes, Hugo Almeida e também o recém-chegado Liedson. Todos!

 

Por isso, estou confiante nesta nova táctica e no sucesso que terá amanhã em terras dinarmaqueses. Força, Portugal!

 

Quanto ao Benfica, a ligação é óbvia.

O ano passado Quique Flores usava David Luiz na esquerda (ele que é central), forçou Rúben Amorim como ala (é trinco), punha Aimar a avançado (um "10" típico) e fez de Suazo o seu ponta-de-lança (sempre foi ala ou segundo avançado.

Este ano Jorge Jesus aposta agora num defesa esquerdo de raiz, o interior direito e o organizador de jogo estáo rotinados ao lugar e o melhor ponta-de-lança do plantel é titular indiscutível. E, mais importante, fixou Di Maria como ala esquerda, a única posição onde rende.

 

Se os treinadores não inventarem e puserem os jogadores a jogar onde estes sabem fazê-lo melhor, o sucesso é garantido. Não havendo adaptações, senão em último recurso, tudo correrá pela melhor.

Para terminar, lembro que na última vitória do Benfica (esse implacável 8-1), havia apenas 1 jogador adaptado: era o Rúben Amorim.

 

Keep it simple, keep it right|



publicado por Pedro Ribeiro e Castro às 08:53
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

4 comentários:
De Pedro Ribeiro e Castro a 5 de Setembro de 2009 às 12:44
NOTA:
Claro que espero que a nova táctica da Selecção tenha os jogadores certos nas posições certas.
Não gosto de ver o Pepe a trinco nem o Cristiano Ronaldo lá na frente.
Acho que o Raúl Meireles e o Deco são capazes de aguentar o meio, o Ronaldo joga melhor na ala e o Nuno Gomes pode fazer uma boa dupla com Liedson.
Vamos ver como corre logo.


De Pedro Ribeiro e Castro a 9 de Setembro de 2009 às 06:13
Portugal não conseguiu vencer a Dinamarca. Tal como no Benfica do ano passado, este treinador tem uma capacidade inesgotável para inventar.
Não só insistiu em Pepe para trinco, mas também colocou a avançados Simão e Ronaldo. O primeiro devia ser titular, mas no lugar do Bruno Alves. Os outros são os melhores alas que a Selecção tem, pelo que deviam estar a servir um matador, alguém rotinado para o lugar.
Porque não se arrisca mais? Porque não se joga apenas com dois médios centro? Porque é que Ronaldo joga sempre numa posição que não é a dele? Não será provável que os golos apareçam quando os avançados Nuno Gomes e Liedson forem titulares?


De Jose a 12 de Outubro de 2010 às 19:43
Adoro este blog e já o leio à alguns dias a seguir todos os artigos. Não entendo quase nada de Internet, será que existe forma de receber os mais recentes posts e os mais recentes comentários no meu mail?


De Jogos a 12 de Outubro de 2010 às 19:45
Com o Paulo Bentoo os problemas foram sanados e a nossa selecção ainda pode ir longe


Comentar post

No terceiro anel
Pesquisa
 
Últ. comentários
Realmente não quis. Mea Culpa...
Não posso deixar de concordar contigo
Viva o Quim
Não quer dizer nada
Com o Paulo Bentoo os problemas foram sanados e a ...
Adoro este blog e já o leio à alguns dias a seguir...
O Roberto também foi dispensado pelo Quique...
Desculpem caros benfiquistas, encontrei este blog ...
Ta explicado! Não é preciso dizer mais nada ...
Benfica ... who else?
Mais comentados
Arquivos

Agosto 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Outras bancadas
Tags

todas as tags

Subscrever feeds