Segunda-feira, 24 de Agosto de 2009
Os Duques da jornada

Depois dos posts do Pedro Pavia Saraiva a analisar as incidências da jornada, nomeadamente, dos jogos Vitória de Guimarães - Benfica e FCP – Nacional,  e aproveitando alguma da benevolência com que nos presenteou para aguçar a língua, deixo-vos aqui os meus “duques”,  as figuras que, em meu entender personificariam as cartas mais baixas do baralho se tudo não passasse de um jogo de cartas:

Cardozo: a merecer cuidado e reflexão o caso de um jogador (para mim o melhor avançado desta liga) que nunca tinha falhado um penalty ao serviço do SLB mas que desde o arranque da temporada já leva 3 falhanços no currículo. Não, hoje não foi mérito do GR mas demérito de Cardozo que rematou para o único sítio que considero proibido na marcação de um penalty (i.e., rasteiro e para o meio da baliza).

 

Quim: sou obrigado a retomar a velha discussão. Apesar do remate difícil de parar, Quim largou para a frente uma bola que só por milagre não deu o 1-0 ao Vitória numa altura em que este já se encontrava com menos um jogador em campo. É apenas mais um facto a juntar a todos os outros, já aqui dissecados, e que a meu ver consubstanciam o que começa a ser uma aberração: a permanência de Moreira no banco de suplentes.

 

 

 

 

Jorge Jesus: O “mestre da táctica” tarda a impor-se dentro de portas. Não obstante o futebol mais prático e vistoso ser, sem dúvida, uma melhoria significativa em relação a épocas anteriores, a verdade é que, a meu ver, Jorge Jesus volta a perder no confronto táctico contra um treinador português. E se no jogo com o Marítimo se pode dizer, em seu favor, que o Benfica, apesar do empate, massacrou o adversário, hoje, tal não foi o caso. Pelo contrario, o Vitória foi melhor que o Benfica quer com 11 quer com 10 munindo-se de estratégias e dispositivos tácticos diferentes em função das necessidades. Apesar do 0-1 final, que me alegra pelos 3 pontos mas que não espelha em nada o que se passou dentro do campo, é caso para dizer que Jorge Jesus perdeu tacticamente para Nelo Vingada duas vezes no mesmo jogo.

Num plano mais técnico pergunto: será que Jorge Jesus achou mesmo que resolvia o jogo trocando Saviola (avançado experiente) por Keirrison (jovem promessa em fase de adaptação) e retirando Aimar do terreno de jogo????

A somar a isto há o caso Cardozo. A Cardozo pode dizer-se que tem marcado mal os penaltis (ele que sempre os cobrou de forma exímia). A Jesus pode apontar-se: 1) o facto de, depois dos dois falhanços anteriores, não ter corrigido nos treinos eventuais lacunas na cobrança deste tipo de livres; 2) o facto de insistir com Cardozo quando é por demais evidente que o jogador se deixou afectar psicologicamente com estes pequenos insucessos devendo por isso ser protegido sob pena de tal instabilidade poder alastrar aos níveis de confiança gerais do jogador; 3) o facto de, aparentemente, não promover a participação activa de um psicólogo do desporto na preparação da equipa; são estes profissionais (e não os treinadores) os agentes indicados para trabalhar os aspectos psicológicos ligados a  estes pequenos contratempos.

 João Ferreira: Não vou discutir o penalty que abriu o caminho à vitória do Porto. Mas, noto seguinte: o árbitro, colocado a cerca de 10

 metros da jogada, assinalou pontapé de canto; o juiz de linha assinalou penalty; o árbitro recebeu a interpretação do juiz de linha; Não será esta sequência suficiente para algum comedimento na distribuição de cartões a jogadores do Nacional? Não terá sido a actuação da dupla de arbitragem responsável por alguma perda de calma da parte dos jogadores do Nacional? Não será essa perda de calma inerente à própria competitividade do jogo? Quantas vezes já assistimos a cenas parecidas sem que daí advenham consequências disciplinares? Não será legitima a interrogação de Bracalli: “Se fosse ao contrário os árbitro expulsava os jogadores do Porto?”

Para já não digo mais nada mas fico à espera das próximas cenas de arbitragem sendo certo que por aqui haverá sempre quem julgue com isenção os lances polémicos independentemente das cores das camisolas.

 



publicado por Miguel Pimentel às 03:53
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

3 comentários:
De jotaeme a 24 de Agosto de 2009 às 10:41
E esta hem! Um blogue de um adepto benfiquista mas com uma apreciação sensata eu diria honesta sobre o jogo do seu clube e do meu,(F.C. do PORTO).
Por isso os meus parabéns, dando lições a outros "suporters" do seus clube que precisam rápidamente de ir a um olftamologista! Para além das paixões clubísticas,(tal como eu), a irracionalidade nunca nos deve impedir de sermos justos!
Cá voltarei pois claro! UM Dragão dos 4 costados.
JOrge madureira


De Miguel Pimentel a 24 de Agosto de 2009 às 11:22
Caro Jorge,

Muito obrigado pelos seu comentário. Faça isso, volte sempre e comente (especialmente se, por paixão, formos menos do que isentos na análise). O elogio do adversário é algo que prezo bastante. O FC Porto merece todo o meu respeito, independentemente da crítica que a seu tempo (quando se justificar) farei (quase fatalmente!) da gestão Pinto da Costa, sendo certo que, enquanto benfiquista me interessa sempre mais apreciar o desempenho da gestão Vieira (ou de quem o venha substituir um dia) por ter consciência que o sucesso (ou o insucesso) do meu clube depende mais de quem o governa e menos das arbitragens ou das diatribes dos dirigentes dos outros clubes!

Um abraço

Miguel Pimentel


De Pedro Ribeiro e Castro a 24 de Agosto de 2009 às 18:51
Caro Miguel,
Deixaste-nos aqui um bom contributo para a discussão.
- 1) O Cardozo falhou novamente um penalti, mas acho que ontem o marcou de forma bastante melhor. Pode ter sido para o meio da baliza, mas rematou com bastante força. Ao contrário, no jogo contra o Maritimo, o Cardozo partiu sem convicção, foi displicente e rematou sem força.
- 2)O Quim não merece ser titular. Ontem teve dois ou três erros inacreditáveis. Apenas me lembro de uma boa defesa, mas curiosamente surge dum canto depois de um erro seu. E mais, o milagre de que falas é um duplo erro, do Quim e do Luisão (que também esteve mal). Então um defesa pára a corrida e encolhe-se para permitir o remate do adversário??? O Moreira e o Sidnei deviam ser titulares.
- 3) Jorge Jesus leu mal o jogo. Desde logo, devia ter atacado os três defesas do Vitória com três avançados. Perdemos a luta no meio-campo. O Ramires (que jogou em três posições diferentes) esteve discreto, excepto no golo, e o Javi Garcia não se viu. O Rúben Amorim esteve mal, mas a culpa não é dele pois não é defesa. E o Keirisson é menos móvel que o Saviola (se bem que se lesionou no primeiro lance que disputou), pelo que não se compreende a saída do argentino.
- 4) Quanto à arbitragem do Sr. João Ferreira, confesso que não tenho assim tantas queixas a fazer. Por um lado, é claríssimo que a bola bateu na mão e que por isso não entrou na baliza. O ano passado o Benfica ganhou a Taça da Liga com um penalti que não existiu, foi ilusão de óptica do auxiliar. Desta vez, o auxiliar viu bem. Claro que não houve intensão de fazer penalti, mas é óbvio que intenção nunca há. E por outro lado, acho que os protestos são uma prática recorrente que devia acabar. Se não podem reagir assim, então devem ser punidos. Só não percebo porque não se é igualmente exigente com as entradas perigosas... nalguns lances de vermelho, nem sequer se mostra amarelo.


Comentar post

No terceiro anel
Pesquisa
 
Últ. comentários
Realmente não quis. Mea Culpa...
Não posso deixar de concordar contigo
Viva o Quim
Não quer dizer nada
Com o Paulo Bentoo os problemas foram sanados e a ...
Adoro este blog e já o leio à alguns dias a seguir...
O Roberto também foi dispensado pelo Quique...
Desculpem caros benfiquistas, encontrei este blog ...
Ta explicado! Não é preciso dizer mais nada ...
Benfica ... who else?
Mais comentados
Arquivos

Agosto 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Outras bancadas
Tags

todas as tags

Subscrever feeds